segunda-feira, 22 de julho de 2013

Falando um pouco sobre Gantz


Ficção científica com muita ação. Para alguns, apenas muita violência e cenas de sexo gratuito; para outros, uma história cheia de reviravoltas e muita adrenalina. Gantz é o típico mangá ''ame ou odeie'', podendo agradar muitos fãs do gênero ou causar náuseas em quem abomina os moldes da obra.






A história, atualmente publicada pela Young Jump, saío da cabeça de Hiroya Oka, mangaká nascido em 16 de setembro de 1967, vencedor do segundo prêmio da Juventude Manga Awards, em 1988, sob o nome de Yahiro Kuon com mangá Hen. Este hentai, aliás, foi aquele em que o mangaká lançou a técnica chamada ''tit-motion trails'', na qual os mamilos das personagens ''borram'' a cena enquanto se movimentam. O autor também criou Zero-One, uma história futurista em que um Game eletrônico é o centro das atenções, contendo muitas cenas de ação. Imaginou a junção desses dois enredos? Gantz!


A História - Kei Kurono é um estudante comum do primeiro colegial. Digo comum porque ele não tem poderes, não é de outro planeta, não é melhor em tudo ou tenta salvar todo mundo, é um garoto normal que compra revistas de mulheres seminuas, não vai bem nos estudos nem nos esportes. Ou seja, é o típico garoto rotulado como loser, ou ''lanterna-diurna'' título dado por um professor da sua escola.

     Um dia, enquanto esperava o metrê, Kurono avista Masaru Katou, um colega de infância com quem ele brincava. No entanto, nem chega a falar com Katou, por achá-lo um idiota. Quando um morador de rua caí nos trilhos do metrô e não consegue se levantar, Kurono e as outras pessoas não fazem nada, na expectativa de que o homem seja destroçado pelo trem ou por medo, o que não está muito distante da realidade, em que pessoas de natureza mórbida querem ver atrocidades.

   Inesperadamente, Katou desce da plataforma para salvar o mendigo, acaba avistando Kurono e pede sua ajuda. Apesar de relutar, Kurono vai ajudar a retirar o homem dos trilhos. Após o feito eles percebem que o trem se aproxima e tentam subir na plataforma, mas acabam sendo atropelados. Ambos morrem, mas misteriosamente aparecem em um quarto, como se nada tivesse acontecido.

  No quarto há outras pessoas reunidas em volta de uma esfera. Aparentemente, todos ali também morreram, sendo que a última pessoa transferida é uma mulher completamente nua, com os pulsos cortados. Depois de algumas discussões, a música Radio Taison começa a tocar e instruções do que parece ser uma missão ou um jogo aparecem na esfera, explicando que eles terão que matar alguém ou alguma coisa. Malas com roupas e armas escuras saem da esfera e pode-se perceber que um homem está dormindo lá dentro.

Em seguida,os integrantes do quarto começam a ser transportados para o local da missão com um tempo limite para terminá-la. Nenhum das pessoas veste a roupa, com exceção de Kurono. Durante a caçada, as opiniões divergem, sobre o que fazer. Após encontrarem o alienígena, uma perseguição se inicia, culminando na morte do alien. Porém, aquele que parece ser o pai dele aparece e, nada feliz com a situação, mata todos os responsáveis e persegue os outros presentes no local. Porque o motivo? A verdade só será revelada no final da história.


Animação -  O animê é de Gantz estreou dia 14 de abril em 2004, com a produção do estúdio de animação Gonzo, conhecido por seus animês direcionados para o público masculino, gerando 12 episódios dirigidos por Ichiro Itano e exibidos na TV Fuji. Posteriormente, em 26 de agosto do mesmo ano, foi exibida a segunda temporada do animê, com o mesmo estúdio,direção e quantidade de episódios. Isso fez com que as duas temporadas fossem sempre tratadas como uma só, ou seja, você sempre encontrará os 26 episódios de Gantz como se fossem um só série. A série animada é semelhante ao mangá pelo menos até o final, que possui um roteiro diferenciado e sem explicações, talvez para combinar como restante da história. As diferenças que seguem no meio do animê são usadas para complementar a história, mostrando momentos fora das missões, pouco focados nos primeiros volumes da obra,em que os relacionamentos entre os integrantes são desenvolvidos

Análise -
Na maioria das edições de Gantz você tem a sensação de não saber nada, e quando acha que começa a entender alguma coisa, o autor lança mais questões, o que deixa o leitor perdido ou ainda mais interessado. SE você só assistiu ao animê, com certeza ficou sem compreender o roteiro. Por mais que você faça teorias, se prender somente a animação vai lhe deixar em um buraco tão escuro quanto Gantz. Em todo caso, se você leu ou lê o mangá, já deve começar a ter uma noção microscópica do que realmente é Gantz.
 O autor não tem pena de seus personagens: por mais legais que eles sejam, que o roteiro em torno deles seja bem construído, em algum momento eles morrerão. Se você se prende a personagens, Gantz vai te ensinar a esquecer isso.




Nenhum comentário:

Postar um comentário