quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Como interpretar um mangá


 Na seção Quadrinhos de hoje estarei compartilhando com vocês a questão de ponto de vistas diferentes e como lidar com a capacidade de interpretação que existe em cada um de nós!



  Tudo é questão de interpretação. Essa frase ficou comigo hoje o dia todo, e consegui concluir vários fatores que para mim era uma incógnita.  Porém se tudo é uma questão de interpretação significa que tudo o que vemos no mídia é bom? de certa forma sim. Se por exemplo uma música soar ao ridículo aos seus ouvidos, no do seu vizinho pode ser a perfeita harmonia. Tudo pode ser questão de um ponto de vista, de gostos, preferencias, porque ninguém é igual a ninguém entretanto podemos ter opiniões semelhantes mais em outros aspectos podemos ter pensamentos opostos. E esse debate pode ser trazido no mundos dos mangás também, e é sobre isso que quero compartilhar com vocês agora!

  Tenha sempre em mente que cada pessoa possui uma maneira de ver o mundo. Uns tem a mente fechada ao extremo e acha que só ela tem a razão. Outros acham que só o gosto dela é o melhor de todos. Quando a gente passa daquela fase de adolescente pra adulto nós percebemos com mais clareza as coisas. Por exemplo, aquelas músicas infantis que você ouvia quando criança passa a ter sentido nenhum quando você se torna adolescente, do mesmo modo é quando você se torna adulto. Tem certas coisas que não faz mais sentido, por mais que você tenha um carinho por tal música JAMAIS você vai ouvir com a mesma intensidade das primeiras vezes. E é essa transição que forma o senso crítico de cada um, essas fases tornam a nossa mente mais evoluída ou mais reprimida.

 Se um cara que lê mangás shonen for experimentar um mangá shoujo ele só entenderá tal gênero se a formação que ele tem condiz com aquilo que ele esta experimentando, ou seja, ele pode entender tal mangá desde que a mente dele esteja mais apta a entender o que o mangaká quis passar com tal tema. Percebe o que estou tentando dizer? tudo é questão de interpretação desde que você entenda, sinta, perceba, se identifique, e compreenda o que está sendo dito. Todavia você só entenderá se sua mente tiver na mesma sintonia que aquele mangá está, caso o contrário nada fará sentido.



 Outro exemplo que eu poderia citar é aquele otaku que é extremamente viciado em animê com personagens fofinhos, se você recomenda-lo a assistir A Kite  ele ficará totalmente horrorizado, e proclamará por aí que é um lixo. Esse baque pode causar nas pessoas por falta de interpretação, pois a a formação que ele possui não bate com algo oposto do que ele ta acostumada a ver. Então isso quer dizer que tudo o que temos hoje na mídia em geral é bom pois se trata de uma questão de interpretação? Não! Mais o nosso senso crítico ficará mais forte quando conhecermos várias obras do gênero, e isso tornará em nós a capacidade de entender e ver o máximo possível de qualidade que por ventura aquilo possa proporcionar. Te deixará com a mente mais limpa e com certeza conseguirá tirar uma interpretação mais justa sobre o que você lê ou assiste. Você terá a mente mais aberta quando passar a ler de tudo que aquele tipo de mídia está oferecendo. Ao invés de julgar as coisas por falta de conhecimento ou porque não faz o seu estilo, você saberá distinguir o bom do ruim de forma justa!

  Então, como interpretar um mangá? deixe fluir a sua mente. Solte a imaginação, se coloque no lugar do mangaká e tente pensar como se fosse ele criando o seu roteiro, você vai perceber com mais clareza as coisas. Fazendo assim você chegará na conclusão que o autor não quis passar absolutamente nada com aquilo ou verá a forte mensagem que há por trás de cada aspecto, de cada detalhe. O segredo esta no ato de pensar, isto é deixe sua mente apta, aberta o máximo possível para conhecer coisas novas e tirar o maior proveito possível disso, Leia de tudo essa é a palavra chave para abrir portas para uma interpretação justa e sincera.
_________________________________________________________________________________

 E aí concorda? tem um ponto de vista diferente sobre isso? Não deixe de deixar sua opinião nos comentários, afinal a sua interpretação é valiosa para mim! Obrigada pela atenção e até a próxima terráqueos!
_________________________________________________________________________________

8 comentários:

  1. Concordo com você, acho que ler de tudo é essencial, faz com que você tenha uma opinião mas coesa sobre as obras que lê, te faz ficar mais critico e considero isso uma coisa boa, só acho que as pessoas tem que aprender a deixar um pouco de lado o preconceito e abrir a mente, e como você disse no texto é deixar a mente fluir, que você acaba esbarrando em algo bom, e quando você consegue interpretar e perceber oque o autor que passar, ai você fica pensando o quão tolo foi por alimentar um preconceito bobo que estava lhe privando de excelentes obras.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É exatamente isso, ter a mente mais aberta faz total diferença. ^^
      Valeu pelo coments o/

      Excluir
  2. Concordo completamente.
    A leitura é como a comida, você não pode dizer que uma comida é boa ou ruim sem antes experimentá-la. O preconceito é um impasse nesse tipo de raciocínio.
    Acredito sim que existe coisas ruins, mas tudo VALE A PENA, lendo uma obra ruim você consegue diferenciar o que é ruim e o que é bom, e quando digo "obra ruim" digo obras que são de fato "meia-bocas" não particularmente ruins, mas na essência a leitura dessa coisa ruim não é ruim, é boa.

    Às vezes vejo pessoas dizendo que X mangá é ruim por isso, isto e aquilo... Eu não tenho direito de obrigar a pessoa a continuar lendo, mas ela também deve tentar no mínimo absorver o mangá de outra forma. Existem mangás que pedem para serem levados mais a sério, e outros mais na brincadeira, mas no fim, o resultado é o mesmo, você aprende com ambos, por mais que não goste dos elementos de um, você se diverte com a leitura, é só saber aproveitar a situação. E nesse ponto a "bagagem cultural" da pessoa não influência, porque depende somente dela aceitar/adaptar-se ou não, afinal, somos seres humanos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você tem toda a razão, alias como você mesmo disse 'somos seres humanos' e temos o dever de se adaptar com diversos tipos de mídia ou gêneros mesmo que no fundo agente ache que isso é ruim, mais no final das contas isso só irá acrescentar conhecimento e mais discernimento para nossa bagagem cultural, para que nós não cometamos o erro de dizer que tal mangá é ruim só porque ainda não conhecemos.

      Cada mangá tem um estilo e é essencial saber interpretá-lo de forma justa e não equivocada por motivos de gostos e preferencias. Valeu pelo comentário o/

      Excluir
  3. Você não entender uma coisa, não faz dela algo ruim ou mal feita, pois pra você dizer que algo é bom ou ruim, primeiramente você tem de compreender a ideia que a pessoa quis passar com isto, ai sim você tem o total direito de opinar dizendo se essa ideia é boa ou não, pois ninguém tem os mesmos gostos e opiniões.

    ResponderExcluir
  4. Pra interpretar é preciso entender a obra. Pra entender, é preciso entrar em contato. Mas penso que isso não signifique que a obra ficará mais atrativa para você, embora o inverso também é verdade (de sabendo interpretá-la, poder apreciar muito mais o que ela tem para oferecer). É tudo uma questão de maturidade, eu acho, tem obras maduras que eu assisti/ ou que se eu assistisse quando tinha menos idade e maturidade pra compreendê-la, iria achar um saco. Concordo plenamente que é necessário entrar em contato com tudo para abrir os horizontes e agregar culturalmente, mas infelizmente, por questões culturais, as vezes isso tarda por demais e a pessoa mesmo experimentando, dificilmente irá absorver aquilo satisfatoriamente porque sua mente já está tão enrijecida (o cérebro é como qualquer instrumento, é preciso exercitar sempre). E bem, tem temas que realmente não desce bem para todos seja por questões culturais ou personalidade. Mecha, shoujo (mesmo que afirmar isso seja errado, afinal, shoujo não é gênero), battle shounen, gore, cyberpunk, drama, comédia. Até pouco tempo atrás, mecha era algo que eu abominava por ter a ideia de que uma história que gira em torno de robos se engalfinhando no céu não era meu interesse. E ainda não nutro nenhum amor pelo gênero pelos mesmos motivos citados, mas estou começando a ver que estava limitando demais minha visão, pois o gênero não se resume a isso e mesmo que este seja o principal fator que leve alguém a curtir mechas, o universo das séries é tão expansivo e por vezes complexos, que poderia estar deixando de apreciar coisas maravilhosas por causa de um elemento.

    Enfim, tem pessoas que tem uma mente e visão mais aberta e acessível, outras mais restritas. Não acho que seja um problema, desde que você procure entender mesmo aquilo que não gosta, até mesmo para poder criticar com mais embasamento e compreendê-la melhor.

    Pra encerrar, vou deixar aqui um pensamento da Senjougaha (fufufufu): "Ter alguma coisa que você odeie, é tão importante como ter algo que ame. Mesmo assim, você aceita tudo, não é? (…) Porque afinal, se você gosta de qualquer coisa, tudo acaba sendo igual".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente! Eu por exemplo não sou fã de Shoujo e nem por isso vou anunciar pra deus e o mundo que é a pior abominação que existe, afinal acredito que estou nessa fase que você passou: de ter um certo preconceitozinho por não ser do meu gênero, do meu gosto e por não procurar contato. O primeiro passo para quebrar esses receios e ter uma mente mais receptiva é justamente procurar contato, mesmo que isso em nossa percepção seja uma perca de tempo. Procurar aquilo que não gosta para ter um argumento melhor para crítica-lo pode resultar em algo bom, ás vezes no meio de tanto coisa ''ruim'' você pode encontrar qualidade que supostamente você não encontraria em outro gênero.

      Valeu pelo coments o/

      Excluir