sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

Death Parade (Comentando episódio 01 e 02) - Maratona 24h #02





















Sério cara, que porra é essa???


Como assim pessoas serão obrigadas a jogar ''jogos mortais'' em um bar, tendo como um juiz, um cara mais sereno do que eu, depois de tomar maracujina?? Velho do céu ...  e que abertura foi aquela com dancinhas com direito à dança da bundinha e tudo mais?  Não é um anime psicológico?  LOL que louco mano. Que louco. Eu adoro animes loucos. Mas claro, desde que haja razões, e é isso que iremos discutir agora. 

Em uma temporada com muito pouco de novo à se oferecer, Death Parade soa como algo grandioso. E definitivamente convence como um anime grande. Pelo menos no primeiro episódio. Death Parade tem em vista 13 episódios para serem lançados , graças a Madhouse que está investindo por causa do bem sucedido OVA Death Billiards que foi lançado em 2013 pelo projeto Anime Mirai

Olha, devo confessar que, passei o primeiro episódio inteiro com os olhos regalados. Eu não sei se sou muito burra, mas eu demorei muito pra tentar pegar o espírito da coisa (Ignorem o trocadilho idiota xD). Eu fui assistir achando que ia ver muito sangue e mortes trágicas, só que não é foi bem assim. Ainda bem. Gostei muito de como a história do casal se entrelaçou uma na outra, a formar um jogo psicológico que fosse além do que era imposto. Eu perdi as contas de quantas vezes eu trocava de torcida de personagem; numa hora ficava do lado do marido, noutra da esposa, e vice e versa, até que chegava na conclusão de que ''okay, se matem logo, agora estou torcendo para o juiz''. Sério, eu não sabia por quem me simpatizar. Machiko estaria mentindo sobre seu amigo/amante, ou seria sobre a gravidez? Estaria ela enganando seu marido afim de ganhar o jogo e salvar sua ''vida''? Como pôde em tão pouco tempo, mudar de figura, de boazinha à vilã? A mesmo coisa eu digo em relação ao Takashi. A princípio se mostra o maridão nota 10, depois e transforma num animal cheio de ódio? E mais ainda. Como pode esses conflitos humanos entrelaçar bem com os pequenos flashbacks a ponto de você não se perder na história? Tudo soa curioso, a relação de cão e gato retrata bem de como uma relação pode se transformar da água pro vinho. 

E as questões espirituais? Também achei bem despretensioso. Não entendo muito de induísmo, e de nenhum tipo de religião, mas mesmo assim consegui entender perfeitamente a temática do anime sem achar entediante. Na verdade, a retratação desse tema, ou seja, o modo de como é mostrado , é muito curioso e interessante. Aos poucos as coisas vão fazendo sentido. E isso é muito legal. Esse anime é perfeitamente adequado para a estética do estúdio Madhouse, o visual está realmente muito bonito e combina bem com a série. O diretor Tachikawa Yuzuru já sabe o que fazer com oque tem em mãos, e tem mostrou muito potencial.























Sim, mesmo com o segundo episódio confuso, Death Parade é a promessa para 2015. Foi desnecessário toda aquela explicação do primeiro episódio? Sim, foi. Mas eu achei necessário. Ou o melhor: a ideia de mostrar aqueles acontecimentos de uma outra perspectiva era algo bem plausível aos meus ouvidos. Mas a pergunta que não quer calar é: será que todos episódios vão seguir essa risca de tentar explicar tudo o que você viu no episódio anterior? Bem, torçamos pra que não. No final do episódio, vi o teaser do próximo e me parece que um novo casal vai fazer o papel do antigo, e sinceramente, isso é tudo que eu não quero que aconteça no percurso de Death Parade. Se essa fórmula for usada, o nível vai decair e muito. Eu acho que esse tema é algo que possibilita frestas a passos largos pra que a história seja explorada de diferentes perspectivas, só que não de maneira repetitiva. 

Essa sensação de incerteza acerca dos novos personagens - as duas mulheres - me faz tentar imaginar em como elas estarão inseridas na estrutura dos episódios futuros, claro, sem ter que explicar tudo novamente. Torço muito, pra que elas venham pra somar, contando suas perspectivas de forma inteligente, e não de forma banal contando o óbvio como foi nesse segundo episódio. Mesmo com seus diálogos meia boca, eu acho que elas podem trazer novas questões para série. Já que elas conseguiram mexer com a ''estrutura'' do Dekim, plantando uma sementinha em seu coração frio sobre seus erros de julgamento. Vai ser muito foda se ele se envolver emocionalmente em algum caso especifico, poderemos assim, se aprofundar mais no personagem e em seus pensamentos.

Curiosa para saber como isso vai ficar no episódio 03! 
         __________________________________________________________________

Pra saber dos próximos posts curta a Nave Bebop no Facebook, e siga também no Twitter!
                                                                Até logo!


Nenhum comentário:

Postar um comentário