sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

Uzamaki (mangá/1998-1999) - Maratona 24h #05


Tá com sono? Relaxa. Conheço um mangá perfeito pra tirar seu sono.


Não dá pra falar de mangá horrendo, sem citar Junji Ito. Essa é uma verdade incontestável. Uzamaki é um dos mangás considerados obra máxima do autor em termos de qualidade. Alguns de seus trabalhos mais notáveis ​​incluem Tomie, uma série narrando uma garota imortal que leva seus admiradores à loucura, Gyo, uma história de dois volumes onde os peixes são controlados por um cheiro de morte, e temos também o The Enigma of Amigara Fault que ''recentemente'' foi considerado o mangá mais assustador de todos os tempos pela revista Mundo Estranho, edição de Maio, 2012.

Com Uzamaki não poderia ser mais diferente em relação a insanidade. A história gira em torno de uma cidade que está obcecada por espirais. Só isso. A partir desse ponto psíquico, Ito explora seus personagens de forma incrível e perturbadora.

 Lançado no Japão em 1998, Uzamaki já deu as caras por aqui pela Editora Conrad, e achar a coleção de 3 volumes pra comprar nos dias atuais é uma missão praticamente impossível. Só nos resta apelar para os scans da vida. Lembrando que Uzamaki também tem um filme que foi lançado em 2000.
                    _______________________________________________________

Começo minha resenha com a frase super legal que o pai de Shuichi disse sobre as espirais:
''me enchem de um senso de mistério, como mais nada na natureza ... como nenhuma outra forma''










































No primeiro volume temos Kirie Goshima, uma menina que vai para a escola Kurozu-cha, um dia, nota que o pai de seu namorado Suichi está olhando um caramujo. Ele começou a colecionar qualquer coisa que contem alguma espiral e eventualmente cria espirais em seu próprio corpo. Ele comete suicídio se enrolando em forma de espiral dentro de uma 'bacia'. Ele é cremado, e a fumaça sai do crematório em forma de espiral. A mãe de Suichi, assombrada pelas espirais, tenta irar todo o tipo de espiral de seu copro, cortando as digitais dos dedos e o cabelo. Ela descobre que tem uma espiral no ouvido (a cóclea), e fura seu ouvido com uma tesoura. Ela também morre e é cremada. A fumaça também sai em forma de espiral.

Como puderam perceber pelo início, a história é bem louca. E isso se estende até o final do mangá. Não há uma trégua, ou um espaço de acontecimento um do outro pra história respirar. E isso é muito legal pois realmente dá aquela sensação de tormento. De que a loucura ali não tem fim. É uma coisa mais bizarra que a outra acontecendo. E todas elas claro: envolvendo espirais. O plot é genial. Não tem como não puxar o saco de Junji Ito. Alguns dizem que Uzamaki não é a obra mais relevante do autor, mas para introduzir alguém aos mangás do Junji Ito tá mais que bom. E eu concordo com essa afirmação, embora também ache um mangá relevante também pra quem já está habituado ao mundo de Ito. O mangá apresenta os dois lados da moeda: quem está obcecado pelas espirais, e quem está vendo essa obsessão de fora. Isso tudo incluindo muito sangue. O psíquico de um, acaba afetando a cidade inteira. Gosto muito desse jeito de narrativa. Claro que possui um ou outro capítulo que não faz tanto sentido, e não no quesito bom, mas em relação à coerência da história ao todo. Mas eu gosto da ideia principal, e acredito que esses errinhos de roteiro dá pra se ignorar. Daí em que lugar do pódio Uzamaki vai ficar no seu lindo coração, já é questão de gosto acredito eu.

Eu não pretendo me aprofundar muito na obra, até pra evitar spoilers etc e tal. Então, fica aqui um texto de recomendação se você ainda não conhece. Se você já tem conhecimento do mangá e leu aqui no blog nada mais que o óbvio, ignore meu texto lool. Mas eu tenho a intenção de fazer outro mais detalhado comentando esse e outras obras do Junji Ito mais a fundo num post só.  I PROMISSE. 

                ____________________________________________________________

Fique por dentro das próximas postagens pelo Facebook e Twitter da Nave Bebop! Até logo!


Nenhum comentário:

Postar um comentário