sábado, 5 de março de 2016

Limit Cycle (Hideki Futamura) - Maratona semanal #05









Que diabos foi isso?

Esqueça plot, personagens enigmáticos, acontecimentos sobrenaturais e bizarros. Hideki Futamura apostou numa animação sem um pingo de discernimento; com 99% de porra nenhuma com 1 % de ''sou filosófico''. Talvez eu esteja sendo injusta demais, afinal, algumas frases ditas são bonitas e que realmente nos leva a um outra patamar de reflexão, mas analisando como um todo, me parece um projeto paralelo com o tema proposto ''criatividade''. Eu gostaria de ser uma abóbora nesse momento a ter que descrever esse curta e ainda explicar para você. 

Mas, basicamente são dicotomias sobre "emoção e razão", "real e virtual", "Deus e ciência", "instinto e conhecimento", e assim por diante. Para aqueles que tentam descobrir uma forma de manipular o tempo, "Limit Cycle" consegue esta proeza, transformando seus quase 19min de duração em momentos excruciantes que parecem durar 10 vezes. 

Sinceramente, não gostei do ritmo. Acho que isso foi o pior vilão da animação. E falando em animação, eu achei que ela ficou em segundo plano. Enquanto existia uma narração rápida, a tela era tomada por coisas sem sentido, e que me fazia querer sair correndo. Eu não consegui absorver cada aspecto, era muita coisa acontecendo. Não dava tempo de prestar atenção no significado do que aparecia na tela com o que estava sendo dito. Além de aparentarem não terem nenhuma ligação uma com a outra, acabei tendo a sensação que deixei passar despercebido algo. E isso não porque a história era complexa demais, mas sim, porque sua execução está horrível. Existem coisas estranhas que são boas, como foi o caso do primeiro curta, mas isso aqui é demais pra mim. Desnecessário. Parece que o Hideki Futamura quis ser tão criativo que se perdeu no meio das ideias. É tiro pra todo lado. É cansativo. Embora deva admitir que algumas observações são profundas, e que a intenção talvez tenha sido boa (não pra esse evento em questão,mas tudo bem), Limit Cycle se perde, e faz feio. 

Enfim. Dito tudo isso, tenha cuidado ao assistir Limit Cycle. É um curta bem mediano, que testa o grau de paciência e sono de cada pessoa. Ah, e vale lembrar que também é um desafio; se você consegue prestar atenção em cada frase e em todas as imagens ao mesmo tempo em 18 minutos sem pedir pra morrer, VOCÊ É UM PUTA DE UM FODÃO, PIKA DAS GALÁXIAS. Mas, a intenção é boa.
_________________________________________________________________________________

Amanhã continua a maratona! Será a vez de '' Happy Machine (Masaaki Yuasa) ''. Até lá!
                                                               Facebook | Twitter

Nenhum comentário:

Postar um comentário