quinta-feira, 6 de julho de 2017

Cowboy Bebop - ''Asteroid Blues'' #01 (Achados e Perdidos)


O começo de várias grandes aventuras.

''Achados e perdidos'' é o mais novo quadro do blog. Para conferir todos os posts lançados até agora, clica na nossa Central aqui.

                                                                            ****

Se esta é a primeira vez que você viu Cowboy Bebop e dormiu, ou ficou entediado, não tem problema, mas acostume-se: a série não vai ''melhorar''. Lembro que quando eu vi pela primeira vez, achei um porre. Não vou mentir, dormi lindamente nos cinco primeiros episódios (se não me falha a memória). Isso aconteceu porque eu não estava preparada para esse tipo de anime. Na época, queria ver One Piece; a alegria contagiante do Luffy, sua aventura com seus amigos em busca do tesouro misterioso, humor pastelão, vilões caricatos, ilhas bizarras, e etc. Hoje, olho para o passado e vejo que CowBe tem uma vibe completamente oposta. Esse episódio prova bem isso. No entanto, antes que me entenda errado, não estou querendo dizer que um é melhor que o outro. Longe disso. Amo ambos. O que quero frisar é que, existem momentos certos pra cada tipo de história. Assim como é estranho ouvir uma música feliz quando a gente se sente triste (Inclusive, tenho que escrever sobre isso um dia separadamente, o quanto nosso humor e disposição pode influenciar na hora de avaliar se gostamos ou não de tal obra). Claro que não estou dizendo que tudo o que a gente não gosta quer dizer que estávamos de mal humor no dia. Nem sempre isso é um fator decisivo. Há obras que são ruins de todo jeito, não adianta fazer esforço. No entanto, há certas obras que exigem um pouco mais do expectador. Pra mim, Cowboy Bebop é uma delas.

''Asteroid Blues'', como é chamado esse primeiro episódio, nada mais é do que a apresentação do personagem principal, junto com o mecanismo daquele universo. A intenção dele é bem simples, mas pode confundir alguns, não no sentido de coisa ''complexa'', afinal, não há nada tão misterioso acontecendo aqui, no entanto, a narrativa dele, pode pegar desprevenido quem procura algo muito mastigado ou qualquer coisa do tipo. A apresentação é episódica e direta. Alias, acostume-se também com esse formato. Muitos episódios que virão, não são uma continuidade um do outro. Isso pode ser bom ou ruim para algumas pessoas, mas somente com o passar do tempo, dará pra analisar os possíveis pontos positivos e negativos disso. Por agora, foquemos apenas no episódio. Nada além disso.


Pois bem. Tudo começa com um pequeno flashback do nosso protagonista Spike Spiegel. E cara ... como eu amo essa introdução! Sempre me arrepio com o feeling todo. Alias, o episódio inteiro, é apenas uma amostra do clima da série. Não é pra ficar pensando muito, ou ficar criando teorias malucas (ao menos para mim). É pra sentir. Entender o mecanismo, e o que é CowBe na sua essência (E sobre isso, quero conversar abertamente somente no último episódio). Em ''Asteroid Blues'', a vibe é convidativa. Os sinos da igreja tocando ao longe, o Spike fumando o seu cigarro em meio à garoa, o buquê de flores em sua mão, a rosa caindo na poça d'água, pequenos flashs de tiroteio na igreja, e no fim, o vermelho da rosa ganhando cor em meio ao branco e preto, e o sorriso final; tudo isso embalado por uma canção super melancólica e triste. À primeira vista nada disso faz sentido, no entanto, a única coisa que posso adiantar é que se trata do passado do Spike que será explorado episódios depois. Mas dá pra deduzir um pouco do que aconteceu ali se for ligar os pontos, não é difícil. De superficial, é um prólogo pra entrar no clima da série. Por mais que a abertura ''Tank'' venha em seguida quebrando um pouco o gelo, ainda sim, esse clima permeia por todo o percurso. Não se trata de um episódio triste, afinal, a linguagem do episódio é muitas vezes divertida. Entretanto, a camada melancólica permeiam sempre nas entrelinhas. Esse é um dos motivos que gosto tanto da narrativa.

Alias, já que toquei no assunto da abertura, ela também diz muito sobre CowBe. Vai além apenas de ser estilosa e com referencias à filmes de espionagem como 007, ou enquadramentos que lembram os filmes do Hitchcock por exemplo. Além da música captar o espírito da série, os planos sequenciais, seja do tiro saindo da arma, como a sombra dos personagens saindo dos quadros, são simbolismos que mostram o quanto a vida deles é desregrada em meio ao perigo. Enfim, é uma das melhores aberturas que já inventaram. Simples assim. 

Na apresentação temos então, uma amostra de como é a relação entre Spike e Jet. Cada um age a sua maneira; enquanto Spike age mais pela emoção, Jet vai mais pela razão. E ambos, acabam se cruzando na história, num relacionamento quase entre pai e filho. O vilão da vez é Asimov, e é do tipo de mafioso que trai até os antigos comparsas para conseguir realizar seus interesses próprios. E quem anda com ele é uma mulher misteriosa, que à principio aparenta estar grávida. E é com ela, que o episódio traz um pequeno significado, onde Spike pergunta para ela, até onde eles conseguem fugir. Até aí nada demais, porém, no final isso ganha uma importância muito grande. Quando ela vira para o drogadão do Asimov - que inclusive está a ponto de explodir com o Bloody Eye - e diz que eles não podem mais fugir, e a música de saxofone pára de repente com o som do tiro em que ela dá, ficando aquele silêncio no ar, com apenas o close dos olhos tristes dela, é de arrepiar. Aquele momento é onde ela abre os olhos e encara a realidade. Isto é uma pequena amostra do que é CowBe. 


Em ''Asteroid Blues'' temos um pouquinho de  tudo. Não é um episódio parado, como também não tão agitado. No entanto, as cenas de ação é o que chama mais atenção, junto com forma como ele trabalha às sub-camadas. A linguagem dele desde o inicio se mostra muito inteligente, por não apresentar diálogos fáceis, e acontecimentos sem um significado que realmente faça sentido, não só pra temática da série, como para o próprio personagem principal. O episódio fez bem em mostrar que o Spike é a estrela do show, mostrando um pedaço de sua personalidade. Confesso, que estou bastante saudosista, e quero ver o quanto antes, essa flor sendo desabrochada novamente. 

Bom, por hoje, é só. Complemente este post nos comentários. Diga o que achou, o que mais gostou, e etc. Todo tipo de opinião é válida, desde que seja só sobre este episódio. Vejo você na próxima semana (se tudo der certo) ou até antes (quem sabe?). Obrigada pela companhia, Space Cowboy. 




Nenhum comentário:

Postar um comentário