quinta-feira, 19 de outubro de 2017

O estranhamento maravilhoso de ''Nekojiru-sou'' (2001)


Anime experimental com gatos. Japão em seu ápice.

Fazendo jus ao lema deste blog - provavelmente você leitor nem deve se lembrar, já que não faço questão de deixar tão explícito - meu objetivo com a Nave Bebop sempre foi ''caçar o que há de melhor na cultura japonesa'', visando mostrar o que quase ninguém mostra, instigando o leitor a tirar suas próprias conclusões acima de tudo. No entanto, sinto que ando bastante afastada dessa proposta e esse curta caiu na minha vida para anunciar a volta às raízes deste pequeno jornaleco digital de desenhos japoneses e afins. Então pensei, por que não retomar com o pé direito?  ''Nekojiru-sou'' ou ''Cat Soup'' como preferir, é um OVA de 2001, bastante esquecido e ignorado por grande parte dos apreciadores de animes no geral, mas que merecia ser mais comentado pela sua qualidade diferenciada e interpretativa.


Antes de mais nada, aviso super importante. Fique longe desse anime. Sim, isso mesmo que você leu. Este OVA é poderoso o suficiente para lhe fazer perguntar em diversos momentos ''por que eu estou vendo isso mesmo?''. Isso se deve ao fato de que parece que ele saiu da cabeça de David Lynch. Para alguns, isso pode ser o argumento chave para fechar esse texto nesse exato momento e procurar outra coisa pra fazer. Para outros, pode ser o motivo valioso para assistir imediatamente. O fato é que depois da experiencia, sua mente saíra com mais perguntas do que respostas. Não é uma obra para entender. Ele é estranho e ponto. Não há o que discutir.

Se você está esperando que eu explique algo, pode tirar seu cavalinho da chuva. Pra começar, minha intenção como blogueira categoria B nunca foi explicar nada. Jamais sentarei o dedo na tecla dando a sentença do que cada obra é - muito menos com esse curta metragem maluco. A única coisa que posso fazer é jogar alguns achismos reunidos, tentando fazer conexões, falar o superficial com uma pitada de provocação - o que não será este, o caso. O dia que em que minha pessoa apresentar uma verdade universal, pode desconsiderar o texto no ato.

               

Dito isto, vamos ao raso. Nekojiru-sou não parece ter uma sinopse convincente. Pra começo de conversa, esse OVA não tem nem diálogos suficientes. Nada faz algum sentido oficial. Uma situação nem sempre se conecta na outra.  Tentar achar uma explicação plausível é um baita abacaxi para descascar, e tenho certeza, que ao final, a tentativa será falha. Mas por hora, falemos do comecinho, que parece ser a parte mais clara do anime. A história acompanha o gato Nyatto em busca de recuperar a alma perdida de sua irmã. A partir daí, adeus coerência, bem-vindo surrealismo. Tudo passa a ganhar novos sentidos bizarros e perturbadores. Pra quem espera ver uma aventura entre gatos fofinhos, vai se traumatizar quando ver o felino com o braço cortado, com direito à sangue jorrando moderadamente e tudo mais. 

Este é um conto que não assusta com a violência, até porque não há muito à presença dela, exceto por algumas cenas que são pesadas dependendo do seu contato com o horror. Todavia, o simbolismo que parece estar escondido em cada canto, é chocante.  O medo que se espalha é por não saber com o que está lidando. O medo do desconhecido, pra mim é a coisa mais assustadora que existe. Há um leque de possibilidades obscuras que pode lhe levar para uma terra desconhecida, assim como Dorothy e seu cachorro Totó no filme Mágico de Oz. 


Apesar de esconder muita coisa em cada frame, Nekojiru-sou é simples. Parece que você entrou no sonho de alguém. Se nossos próprios sonhos são estranhos por natureza, imagina estar assistindo o da outra pessoa. A experiencia maluca aumenta em dobro. O diretor desta pérola Tatsuo Sato, já deu declarações afirmando que nem ele sabe o que cada coisa quer dizer, se ele sabia, esqueceu. O estúdio J.C Staff dá a impressão que preferiu colorir à mão do que pelo computador, isso trouxe ainda mais a sensação de simplicidade, pelas cores não serem fortes e vibrantes. É um anime visualmente apagado, ao mesmo tempo, brilhante pela atmosfera escolhida. Um objeto, pessoa ou animal se transformando, ganhando novos formatos, é quase que uma coisa devorando à outra. Como eu disse, os recursos são simples, mas a imaginação dá um ar profundo para à obra. 

Trinta minutos é o suficiente para se sentir completamente estasiado. Estranhamento belo, Nekojiru-sou está na lista de animes mais esquisitos já feitos. Opção obrigatória para quem procura algo desafiador nos animes. 





Curta e siga nossas redes sociais (FacebookTwitter), pra ficar por dentro das próximas postagens. Ouça também nossos podcasts. Comentários são bem-vindos. Obrigada pela visita e leitura. 

See you in space...

Nenhum comentário:

Postar um comentário