sexta-feira, 3 de abril de 2020

Midnight Diner: Tokyo Stories - As crônicas da maior metrópole do mundo


“Quando as pessoas terminam o seu dia e correm para casa, o meu dia começa”. Da meia-noite às sete da manhã o Mestre, como é conhecido o dono do Jantar da Meia-noite, trabalha religiosamente, sem folga ou distração, atendendo a clientes regulares, e também alguns esporádicos que poucos esperariam encontrar em um restaurante.


Mangá e adaptações

Midnight Diner (Shin'ya Shokudō) é um mangá slice of life criado por Yarō Abe e publicado pela editora Shogakukan na revista Big Comic Original entre 2006 até a data presente. Em 2009, foi premiado pelo 55º Shogakukan Manga Award, uma das mais importantes premiações do Japão. Neste mesmo ano, foi adaptado em uma série de 10 episódios pela TBS. O sucesso instantâneo já originou 5 temporadas, das quais a 4ª e a 5ª foram produzidas e disponibilizadas pela Netflix Japan, em parceria com a TBS. Essas duas, inclusive, são intituladas Midnight Diner: Tokyo Stories. Dois filmes live action foram lançados respectivamente em 2015 e 2016. E dado o seu enorme sucesso mundo afora, uma versão coreana e outra chinesa também ganharam vida.

Midnight Diner: Tokyo Stories

Em uma viela perdida em meio a selva luzes da turbulenta Shinjuku, em Tóquio, crônicas ganham vida acompanhadas de boa comida e bebida. Seu menu fixo é sopa de missô com carne de porco, cerveja, saquê e licor de shochu. Mas, caso alguém deseje algo diferente, o Mestre está disposto a atender, desde que tenha os ingredientes necessários. Essa é a sua única regra.

A definição mais mundana de crônica – apesar de não ser uma regra e existirem centenas de exceções – é: um texto que aborda assuntos relacionados ao cotidiano e acontecimentos urbanos. Em geral, as crônicas costumam tratar de assuntos leves, descontraídos e bem-humorados – mas como já disse, há muitas exceções. A chave de uma boa narrativa crônica é demonstrar como coisas triviais, que geralmente passam despercebidas, podem ser tão excitantes quanto grandes histórias. E é com essa premissa que Midnight Diner consegue ser notável.

Por se tratar da vida noturna de Tóquio, somos apresentados a situações pouco convencionais – para os diurnos – com personagens muitas vezes tratados de forma rasa em outros roteiros. Pescadores, acompanhantes, yakuzas, policiais, atores em ascensão e pessoas solitárias se reúnem como uma grande família envolta de uma mesa farta, e sem pré-julgamentos são o suporte psicológico uns dos outros, com atitudes simples, mas com muito significado.

Por si só, a comida é uma das formas mais simples de ancestralidade. O alimento, visto como fonte de vida, quando combinado com outros alimentos em um determinado processo, dá origem a um prato específico. E esse prato, repetido milhares e milhares de vezes, atravessando eras, acompanhado das tristezas, conquistas e perdas, se comunica em uma linguagem universal. E de fato, mesmo em uma cultura tão distante, conseguimos nos identificar com o sentimento que um prato preferido pode causar, e assim, nos interessar pela vida de alguém.

Casos de amor, traição, vingança e amizade são os ingredientes diários da vida dos frequentadores do pequeno Izakaya (bar/restaurante japonês), e misturados, movem as histórias noturnas. O Mestre, apesar de nunca ser o protagonista das crônicas, atua como o narrador onipresente, e está sempre disponível para acolher qualquer pessoa que necessite de uma boa refeição. Sua feição calma carrega a leveza gentil de um bom anfitrião, colocando o bem-estar do próximo antes do seu. O que faz com que seus clientes o venerem com muito respeito. Seu passado é um mistério, e em apenas alguns breves momentos descobrimos algumas informações, que acabam aumentando ainda mais o mistério.

Cada episódio carrega o nome de um prato, típico japonês ou não. E este prato costuma ser o início da trama. No fim, geralmente somos agraciados com algumas dicas de como preparar tal prato. A comida é literalmente a fonte da energia criativa de Midnight Diner. É o que une, nutre, consola e diverte a todos que frequentam o Izakaya

Não há conclusão alguma ou lição de moral. Apenas o dia-a-dia sendo enfrentado da melhor maneira que cada um consegue, respeitando o próximo a agradecendo o alimento que os mantém vivos.

Resumindo, Midnight Diner: Tokyo Stories é um prato cheio para quem procura algo leve, bonito e curto para ver durante essa quarentena. Só uma dica: nunca assista um episódio com fome, pois a comida é tão bonita e suculenta que você consegue até sentir o cheiro!

Itadakimasu!



Nenhum comentário:

Postar um comentário