domingo, 6 de outubro de 2013

Porco Rosso - O último herói romântico (1992)


 Piratas do ar e um herói com cara de porco. Esse é mais um filme do Miyazaki que enchem os olhos!



 Na Itália entre as duas guerras, caçadores de prêmios ganham a vida a lutar contra piratas do ar que aterrorizam o Mar Adriático. Um deles é Marco Porcellino (Moriyama), mais conhecido por Porco Rosso. Gina (Kato), cantora e proprietária do Hotel Adriano, situado numa pequena ilha, não desiste de tentar convencê-lo de que vale a pena procurar a humanidade, mas Porco resiste a falar do passado e detesta o único vestígio desses tempos - uma fotografia que mostra o seu rosto antes de assumir a sua fisionomia de homem porco.

 Lançado em 1992 pelo Studio Ghibli,' Porco Rosso - O último herói romântico ' é mais um clássico do mestre Hayao Miyazaki. 

 Sem mais delongas, vamos a resenha!


 O filme todo é ambientado pela fantasia e a realidade. Esse é o fundo da história de Porco Rosso, e que de maneira nenhuma se perde ao longo do seu caminho, ou muito menos foge da sua proposta estabelecida. Primeiro vemos um cenário num período de guerras, onde caçadores de recompensa se unem com os governos para capturarem os anti-facistas, no caso Porco Rosso. Gangues piratas também são introduzidos na história, ao qual se tornam uma espécie de ''aliados'' de Curtis, um americano ambicioso e arrogante. Do outro lado vemos a fantasia, será que Marco se transformou num porco só porque fugiu da luta? Se é ou não  o filme não conta, mais sabemos que era nisso que Marco (porco rosso) acreditava. Acho interessante o filme não mostrar o grande porque dessa transformação para justamente se criar um mistério maior, uma brecha para que as pessoas possam tirar várias interpretações e conclusões. Aí fica por conta da imaginação fantasiosa de cada um. 

 Por exemplo, a história que o Porco conta para a Fio já é uma grande introdução para se iniciar a majestosa incógnita no ar. Ele conta que quando ainda era um ser humano, o seu avião foi abatido por uma série de outros aviões Austro - Húngaro. Ele se lembra de ter desmaiado e acordado e em seguida percebeu que aviões inimigos passavam pela banda, mais ignorá-lo. Depois vê seu amigo Berlini, o então marido de Gina, e chamá-lo de volta, mais é ignorado mais uma vez. Porco logo vê que a banda é de fato milhares de aviões que voavam juntos. Porco desmaia novamente e quando se recupera percebe que está deslizando sobre o mar. Quando ele acorda, já descobre que foi transformado.

 Ou seja, o filme não conta explicitamente o motivo pela qual Marco é transformado num Porco. Aí fica um espaço vazio para que os telespectadores á preencham. Pode ser que ele foi transformado por uma pura representação de como os homens da época eram vistos pela sociedade após abandonarem as guerras, vistos literalmente como um porco. Essa é uma das teorias para essa questão que mais fez sentido para mim, eu prefiro acreditar que o Miyazaki tenha colocado essa incógnita no ar para um significado de duplo sentido, do que só a ideia de um simples feitiço. 


 Uma coisa que me chamou a atenção é como Porco Rosso possuía uma maturidade incrível, ao contrário dos demais outros protagonistas dos studios Ghibli. Em todos os momentos ele sabia exatamente o que fazer, e como conduzir a história. Não estou querendo dizer que os outros não tinham essa maturidade, mais Porco Rosso de certa forma se diferencia por ter mais consciência, ele era mais ajuizado. Um exemplo claro disso é quando ele se preocupa com a Fio embarcando junto com ele no seu avião.

 Mais voltando na questão do mistério da transformação, ouvi boatos em certos blogs que uma das possíveis teorias seja uma representação de um homem após guerra:
“No oriente, pegando como base o horóscopo chinês, o porco simboliza o conhecimento adquirido pela vivência de experiências amargas, também sendo representado como um ser de força e petulância, vindas do javali’, (encontrei uma frase de Miyazaki que confirma tudo que eu disse sobre o personagem: "todo homem quando chega a meia-idade se torna um porco").
 Acho essa suposição bem válida, visto que há uma grande coerência nela. Mais acho que por fim das dúvidas Porco Rosso se trata mais da natureza do próprio homem em consequência da vida e do tempo. A maioria dos filmes anteriores do Miyazaki se foca na relação do homem com a natureza, nesse já é bem diferente. Desta vez é como um homem se sente, e de como ele é visto pelas pessoas depois de sobreviver á uma guerra, e abandoná-la. 



 E o que dizer então das lindas cenas de voo de avião? extremamente sutil e lindo de ver. Mais será que Miyazaki encheu o filme com essas cenas só pra ficar cinematográfico? Ou tem uma representação por trás disso também?
 Creio eu que também que há um significado. Voar nada mais é do que uma sinônimo de ser livre, e ir aonde quer. Porco Rosso queria voar aonde ele tinha vontade, e não ser controlado pelas forças-áreas da sua época, mesmo que isso custasse uma fama de porco, relaxado. Voar pelo país ou voar pela nação soava como algo ridículo para ele. Afinal, Porco queria voar independente, sem ser controlado por ninguém. Viver a vida do jeito que queria, sem estar preso a um governo opressor. 

 Há quem diga que Porco Rosso é um dos filmes mais fracos de Miyazaki, coisa que eu discordo. Nem o mais fraco e nem o mais forte. Julgá-lo a partir de gosto pessoal é uma grande injustiça, como já disse várias vezes. Talvez ele não seja tão comovente por não tratar de assuntos como a natureza, ou qualquer coisa do tipo, entretanto ele tem um pano de fundo muito conservador e que deveria ter chamado o olhar curioso do público quanto ao assunto, coisa que não aconteceu com a maioria. É uma lástima. Nada mostrado no filme é vazio, ou sem importância. Por que a natureza ou qualquer outra coisa do tipo teria mais significância do que o fascismo? Por que isso é mais privilegiado? Por que as pessoas dizem que o filme foi produzido para crianças? Só por causa que o protagonista é um porco? Isso não seria preconceito?

 Ta na hora das pessoas quebrarem esse tipo de pensamento burro, e de não julgarem pelo aquilo que é aparência. Se eu julgasse pelo aquilo que é aparente eu diria que Shin Chan é destinado para criancinhas de 5 anos, ou aquelas que ainda não tem capacidade nenhuma de raciocinar. Afinal uma criança sabe exatamente o que é uma guerra? elas entendem as consequências que elas trazem? ou é legal elas assistirem só porque tem um porco carismático pilotando um avião super maneiro?

 Por isso pense duas vezes antes de dizer que Porco Rosso é o filme mais fraco do Studio Ghibli com desculpas de não apresentar uma base significante á altura dos outros, pois isso é lorota de gente ignorante, tenham cuidado para não cometer esse equívoco estupido.



 Mais uma coisa que eu deveria comentar é que mesmo se tratando de um tema diferente e forte, a magia não ficou perdida ou escondida. A arte então nem vou comentar, pois o máximo de elogios que poderia citar ainda é pouco pra magnitude que é colocada. Personagens extremamente carismáticos, cenários absurdamente detalhados, roteiro que não se perde no meio do caminho, e aquele charme próprio que fazem os olhos brilharem.

 Só digo uma coisa :

Miyazaki eu te amo.



Leia também:

2 comentários:

  1. Sem dúvida, um dos clássicos mais importantes da animação japonesa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim sim, grande clássico, Miyazaki é foda u.u

      Excluir