sexta-feira, 29 de julho de 2016

Por que assistir, escrever e analisar animes?



Porque sim não é resposta.

Estava eu, assistindo Shirobako, quando me deparo com o episódio 20. Acredito que grande parte deve ter assistido, portanto, não deve ser um problema descrever uma das cenas aqui. Em um determinado momento, a personagem Miyamori começa indagando qual o significado de um acontecimento no anime em que ela está trabalhando. Sua colega fica confusa, e não sabe responder. Com isso, outra pessoa se envolve na conversa e tenta responder a dúvida dela na mesma moeda, perguntando o porquê que ela trabalha com isso. Igualmente, ela não sabe responder. Até que a personagem, vira e pergunta para o diretor. E ele diz oque todos nós, admiradores de animes e mangás diria numa situação dessas: ''Porque sim''.

Nessa hora, lembrei de uma pergunta antiga do meu irmão ''Por que você vê animes?'', e eu, respondi a mesma coisa que o personagem de Shirobako. Na verdade, eu já tinha me feito tal questionamento antes, mas nunca tive algo convincente pra dizer. Assistir, escrever, analisar sobre animes se tornou um costume. Sou tão apegada com esse hobbie, que não tenho mais tempo pra me perguntar ''por que caralhos faço isso''. Afinal, eu não escolhi gostar disso. Uma coisa veio puxando outra, e aqui estou eu. Não sei aonde fui me meter, como exatamente deixei isso me dominar, e o que quero daqui pra frente. Assistir e comentar sobre essas coisas, não me tem uma finalidade. É fato, que não almejo nada com isso. Nunca soube ao certo, o que aprendi com animes por exemplo. Já vi gente dizendo que aprendeu o valor de uma amizade, a ser quem elas realmente eram, se defender do tédio e do mundo lá fora. Mas eu nunca pudi compreender a magnitude disso. Pois minhas maiores paixões vieram de repente, e eu não sei dizer uma única palavra que explique qualquer coisa que seja. Só sei que foi assim, descrever não é o meu forte. Comigo guardo o acaso, e o resto é completa escuridão.


No inicio, houve a ingenuidade. Brincar de redatora, compartilhar notícias que todo mundo já sabia. Depois veio a descoberta de blogs opinativos, cada um com sua distinção. Tentei guardar um pouquinho de cada dentro do que pretendia, excluí o nome antigo do blog que me dava vergonha, e recomecei do zero. Agora cheia de ego. Querendo escrever tão bem quanto aquelas pessoas, alcançar público, falar de coisas que ninguém se importava. Quem sabe até ganhar dinheiro (óh meu deus, que inocente!!!). Mas o tempo ... aaaah esse maldito, derruba tudo no caminho. Considero que nunca tive o que imaginava, e cheguei na conclusão, que mesmo que conseguisse tudo isso, ainda sim depois, teria que traçar novos objetivos. Afinal, é dolorido viver sem propósito. Foi dessa forma que dei um 'boa noite cinderela' pra essa ânsia, e me foquei mais no que era realmente importante. Fazer. 

Em cada post, quis dar mais do que podia. Superar os textos anteriores, ficando semanas neles. Lendo o máximo que pretendia, aprendendo palavras novas pra se expressar melhor. Tudo, pra no final descobrir que fiz o minimo que se faz num texto. Tenho em mim a consciência que jamais apresentei uma visão diferente dos animes, ou explodi cabeças interpretando uma cena. Apenas acho, que dei vozes para alguns pensamentos, tanto meus, como de alguns leitores que compartilhavam da mesma opinião. A ideia de que fiz alguém pensar no significado das minhas palavras, se tinha coerência ou não, também é algo que me fascina. Por fim, acho que a resposta ideal para esse questionamento é porque quero me superar. Criar prazos para mim mesma, e fazer o máximo para cumpri-las. Por exemplo, eu coloquei na minha cabeça que ia falar ao término da temporada de animes de todos que vi. Muita coisa saiu fora da curva obviamente. Me atrasei muito nos episódios, e tive que maratonar um por um de última hora, pra poder escrever depois. Consegui depois do que havia previsto, mas consegui. E foi isso que me deixou feliz.

Resumindo, sou exatamente como os personagens de Shirobako. ''Faço porque me acostumei, quero me superar, e desejo alcançar algum tipo de impacto nas pessoas''. Claro, que nem sempre isso será possível; pode ser que nunca chegue acontecer na verdade, porque fatores externos estão aí sempre pra atrapalhar, e as possibilidades de ter o que queria acabam sempre reduzidas, porém, a tentativa é desafiadora.

Agora, deixo a última pergunta; ''Por que ver animes?''. Na verdade, eu não sei. Eu poderia dizer todas aquelas coisas óbvias, de que os animes me ensinam muita coisa, e etc. Mas prefiro ficar com a conclusão do episódio 20 de Shirobako. Eu não tenho noção do impacto que os animes têm sobre mim, e nem sei do potencial que ele possui para tal, mas de uma coisa eu sei. Fazer um anime, ainda mais nas condições precárias de hoje, requer o sangue de uma equipe toda. Mesmo com tantos problemas, existem pessoas que insistem em encontrar a perfeição dentro do almejado. Assistir, é uma forma de dar apoio. E eu quero estar no grupo que irá aplaudir o sucesso desses caras. Que vai reconhecer a grandiosidade de um esforço que deu resultado.

Enfim, assistam Shirobako.

Nenhum comentário:

Postar um comentário