sábado, 22 de julho de 2017

Músicas Estrangeiras Que Combinariam Perfeitamente Com Alguns Animes

Existem músicas que me fazem lembrar de um anime, e têm animes que me fazem lembrar de uma música.

Devo confessar que não consigo mais ouvir nenhuma música da banda Yes e nenhuma da banda The Bangles sem me lembrar de Jojo. E nem ouvir T.Rex sem me lembrar do mangá 20th Century Boys. Não sei se isso já aconteceu com você, mas vira e mexe, isso acontece comigo. Fico embaralhando na minha mente, uma coisa com a outra. Mas antes que pergunte, esse post não é para comentar as músicas estrangeiras que tocam nos animes, e nem os mangás que fazem referência a tal. Hoje o assunto fica por conta da imaginação, e da experiência/gosto/opinião de cada um. Espero que entendam e gostem do post filler de hoje. 

Bom, vamos lá. Aqui vai um pouco do meu gosto musical pra vocês, misturada com alguns animes e mangás que casariam perfeitamente com eles - na minha opinião.

Vou começar falando de uma banda experimental que gosto muito, e que na verdade, combinaria com qualquer anime mais reflexivo, que envolva interpretação, e teorias malucas. Claro, que estou falando de Tangerine Dream. Esta é uma banda alemã, formada em 1967 por Edgar Froese (tecladista, falecido em 2015), considerada como um grande expoente do rock progressivo eletrônico, junto com o Kraftwerk (outra banda que gosto muito por sinal).

Como bem disse um leitor aqui nos comentários no blog, um mangá que combinaria perfeitamente com o som dessa banda é Blame! Isso porque, a obra é uma viagem completa, repleta de camadas pra você interpretar e sair brisando. Experimente ouvir o som do álbum ''Zeit'' de 1972 enquanto lê.


E já que citei a banda Kraftwerk, aproveito pra recomendar uma deles, que me lembra o mangá Pluto. Conheci a banda na mesma época, e essa música veio a calhar com o momento em que conheci a obra do Naoki Urasawa. Essa música, me dá um pouco de medo (principalmente o clipe) no entanto, é um som contagiante. Gosto da voz robotizada, o som sintetizado que inclusive me lembra o Japão (lol). Enfim, é impossível não sair andando igual um robôzinho depois de ouvir, e , principalmente, se lembrar de Pluto, que alias, é um dos meus mangás preferidos não só da vida, como da temática. (PANINI PAGA EU!!!!!)


Como estou numa vibe eletrônica, eu não poderia deixar de citar a minha musa inspiradora, que com sua voz, me conecta com o desconhecido e com a vida muitíssimo bem. Estou falando dela, a islandesa Björk. Como fã, é impossível escolher apenas uma música preferida. Considero todos os seus álbuns lançados, verdadeiras obras primas. Então, fica aqui já uma recomendação para quem gosta de música alternativa,  misturada eletrônica com clássica, jazz com trip hop, e uma grande pitada de experimentalismo. Mas tem uma em específico, chamada ''all is full of love'' que me lembra Ghost in the Shell, talvez não tanto pela letra, mas pelo sentimento que a melodia traz. Tente ouvir a música se imaginando no corpo, e no universo da Matoko. Na minha cabeça, combina.


Agora, mudando um pouco de estilo, vamos de folk. A letra e melódia da canção ''The Wind'' do maravilhoso Cat Stevens parece que foi feita para Kino no Tabi. Sim, eu sei que o anime tem uma vibe mais melancólica do que a música, ainda sim, acho que os dois combinam mais pelo significado da letra. Eu não sei vocês, mas acho que daria um bom AMV.


Post que não fala de Cowboy Bebop não é post da Nave Bebop, certo? Certo.

Brincadeiras à parte, esse ano já virou rotina mencionar CowBe aqui no blog, e confesso, que estou repetitiva já faz um bom tempo. Mas antes que colem meus dedos com super bonder, eu tinha que citá-lo de novo. É impossível ouvir ''The Space Between'' não se lembrar da trajetória do Spike. Sorry. Agora, não me pergunte porquê.


Pra acabar, apresento-lhes o meu disco preferido da vida; intitulado ''Le Voyage dans la lune'' da banda Air. Como alguns cinéfilos podem perceber ao olhar para a capa do álbum abaixo, esta pérola foi inspirado no filme de 1902 Viagem à Lua ( Le voyage dans la lune) de George Méliès, e se destina a ser uma trilha sonora restaurada do filme. A versão digital do álbum, juntamente com o filme recém-restaurado e colorizado em dezesseis minutos foi lançado como uma edição limitada. Lançado em 2012, a banda Air é formada por uma dupla francesa (Nicolas Godin e Jean-Benoît Duncke) de música eletrônica iniciada no ano em que eu nasci, 1995. Ao todo eles possuem 8 álbuns, além de compilações de remixes. Recomendo todos os discos porque os caras são simplesmente sensacionais, mas confesso que o meu preferido é este. Perdi a conta de quantas vezes fiquei ouvindo de madrugada, me sentindo nas estrelas.

Além de ser um álbum que remete às minhas brisas internas, este álbum também me transporta pra qualquer anime que envolva não só viagem espacial, mas que abrange coisas sobrenaturais, e significados indecifráveis como por exemplo Angel's Egg. Somzaço!


Por enquanto é só. Futuramente farei a parte 2. Pra quem não sabe, eu também sou viciada em música, então, ainda tem uma porrada de coisas legais pra recomendar pra vocês, usando como gancho/desculpa os animes e mangás. Se puder, entre na maluquice também, e escreva nos comentários as suas músicas/albums/bandas que te fazem lembrar de uma história da cultura pop japonesa. Vamos espalhar bom gosto e universos paralelos!

See you





Curta e siga nossas redes sociais (FacebookTwitter), pra ficar por dentro das próximas postagens. Perguntas no Curious Cat também são bem-vindas, assim como comentários, compartilhamentos, curtidas, retweets. Qualquer tipo de feedback me incentiva muito. Obrigada pela visita.

Nenhum comentário:

Postar um comentário